O quarto do bebê

23 outubro, 2008 Deixe um comentário

Preparar o ambiente para a chegada do bebê é um dos momentos mais mágicos para os pais e mães. É impossível não imaginar que, em breve, a criança vai estar saltitando no berço e se divertindo com os apetrechos escolhidos especialmente para ela.

Mas não basta pintar o quarto e enchê-lo de brinquedos. A escolha dos móveis e acessórios precisa levar em conta, acima de tudo, a segurança e o bem-estar dos pequenos.

Cores
Os tons pastel no quarto dão mais tranqüilidade ao bebê. Os brinquedos podem ter cores mais vivas. Mas em excesso podem perturbar a criança.

O berço
O estrado tem de ser regulável na altura. Conforme o bebê cresce, deve-se abaixá-lo. Quando a criança começar a se erguer, o topo da grade precisa estar na altura do seu queixo. Os espaços entre as ripas não devem ter menos de 2,5 centímetros ou mais de 6 centímetros.

Bichos de pelúcia
Quanto menos, melhor. Para limpá-los, é preciso passar o aspirador toda semana e lavá-los com água e sabão uma vez por mês.

As paredes
As tintas acrílicas são as mais recomendadas, porque resistem melhor à ação do sol e da chuva.

O piso
O de vinil é indicado por não acumular pó. Os tacos atraem sujeira para seus vãos e o carpete junta muita poeira.

Gavetas
Devem ter travas para que não despenquem na cabeça os pequenos curiosos, que vão adorar abri-las assim que começarem a engatinhar.

Iluminação
De dia deve-se aproveitar a luz natural. À noite, o bebê pode dormir no escuro, mas é bom ter um abajur com luz fraca para que a mãe possa olhar o nenê sem incomodá-lo.

Trocador
Alguns têm borda de proteção, mas na troca não dá para vacilar. As mães e pais devem deixar tudo à mão, pois os bebês podem, num descuido do casal, virar e cair.

Repelentes
Inseticidas de parede irritam a mucosa respiratória. É melhor usar produtos dissolvidos em água, na forma de spray, duas horas antes de a criança ir para o quarto. Os véus ou mosquiteiros são contra-indicados, pois retêm pó.

Cortina
As persianas, que podem ser limpas com pano úmido, são a melhor opção. Se a escolha for uma de painel, deve ser aspirada uma vez por semana e lavada a cada três meses. A de pano precisa ir para a máquina mensalmente.

Cuidados no pós-parto

4 outubro, 2008 2 comentários

As principais dúvidas das mães (e dos pais também)

O bebê já está em seus braços. Foi um tempo de preocupações, incertezas, mas de muita alegria. Uma alegria que agora se multiplica milhões e milhões de vezes com o nascimento. Mas ainda alguns cuidados são necessários no período que nós, médicos, chamamos de puerperal, com algumas importantes mudanças físicas que podem inclusive afetar o lado emocional. O Puerpério é o período de 6 semanas a seguir do parto. A maioria das alterações provocadas pela gravidez regride na maioria dos sistemas orgânicos do corpo. Podemos dividir esse período em: 1. Puerpério Imediato – as primeiras 24 horas ; 2. Puerpério Precoce – a primeira semana e 3. Puerpério Remoto – as 5(Flávio: não seriam 5?) semanas seguintes(na verdade essa é uma divisão apenas didática, pois as regressões das modificações que a gravidez provocou no corpo demoram cerca de 6 meses para sumirem por completo). É uma fase cheia de dúvidas. Veja algumas delas e as respostas.

1. Qual deve ser o tempo de internamento?
Depende do tipo de parto. NORMAL: alta em 24-48 horas. CESÁRIA: 48-72 horas
A alta hospitalar é dada após a paciente estar em condições de andar sem apoio, com intestino e bexiga funcionado sem problemas.
As condições de alta dependem também das perdas sangüíneas durante o parto. A grávida está preparada para perder até 1500 ml de sangue sem problemas. Isso acontece por todo aquele aumento de volume sanguíneo que aconteceu durante a gestação. As perdas normais são: durante o PARTO NORMAL = 400 a 600 ml ; Durante a CESÁRIA = 800 a 1000 ml.

2. Como serão as minhas reações emocionais? E a depressão pós-parto?
Primeiramente vem o alívio com o êxito do parto. Depois chega a vontade de se relacionar com o recém-nascido. Em seguida sensação de insegurança e algumas vezes certo grau de depressão, causada pela impressão de que nada sabe sobre como cuidar do novo ser que agora está fora do útero e totalmente dependente de sua presteza e de seu amor.

3. Em quanto tempo eu posso levantar e andar ?

Devemos estimular que a puérpera (as mães por favor me desculpem o uso dessa palavra feia, mas que designa a mulher que acabou de dar à luz) levante precocemente de seu leito, se houver condições, 6 horas após o parto normal, e 12 horas após a cesárea. Andar precocemente melhora o funcionamento dos intestinos e da bexiga e evita complicações trombo-embólicas, ou seja, a coagulação do sangue dentro das veias, o que pode acontecer, principalmente nas pernas.
Um inchaço nas pernas, principalmente do lado esquerdo, é comum nos primeiros dias pós-parto. Isso se deve à redistribuição dos líquidos contidos na placenta. É como se parte desse líquido fosse armazenado de forma temporária nas pernas. Deitar com as pernas elevadas pode ajudar a diminuir esse tipo de problema.

4. Em quanto tempo o intestino volta ao normal?
É normal uma certa demora do funcionamento intestinal , particularmente, após a cesária, quando uma pequena quantidade de sangue que fica dentro do abdome dificulta o peristaltismo ou a movimentação dos intestinos. Assim, uma dieta rica em fibras e alguns laxativos leves serão utilizados nos primeiros 3 dias.

5. E a bexiga?
Urinar se torna impossível após anestesia (primeiras 12 a 24 horas). Por isso usamos sonda vesical (na bexiga) de demora (que fica por algum tempo) após a cesariana. Às vezes, mesmo depois que se retira a sonda (12 horas após a intervenção), há certa dificuldade em se obter a primeira micção. As primeiras micções podem inclusive ser dolorosas.

6. Como deve ser a higiene?
Assim que a puérpera se levanta deve tomar um banho.
O fato de lavar a cabeça não afeta e evolução saudável do puerpério.

7. Quais os cuidados com os curativos?

São retirados após 24 horas do parto, no caso de cesárea. Podem ser molhados durante o primeiro banho desde que depois sejam trocados. Após o segundo dia mantemos o corte descoberto sem necessidade de curativos. A episiotomia (corte realizado no períneo para facilitar a expulsão fetal durante o parto normal) requer apenas limpeza com água e sabonete durante o banho. Nos casos de dor e ardência – que são freqüentes – usamos alguns anti-sépticos e analgésicos em forma de “spray” – o que promove alívio.

8. Existem exercícios específicos a serem feitos no pós-parto?

Sugestões Práticas de Exercícios Durante a Gravidez e Pós-parto.
OBJETIVO: Visam tonificar os músculos da região lombar, assoalho pélvico e abdome.
Pós-PARTO NORMAL = começam após a segunda semana
Pós-CESÁRIA = começam após a terceira semana
Você pode continuar fazendo exercícios de relaxamento ou caminhadas leves a qualquer momento após um parto normal. Contudo, é uma boa conduta dar a seu corpo o devido descanso e um tempo para recuperação, antes de reiniciar um programa de ginástica. Usualmente, seis semanas é o tempo que se espera para uma boa recuperação do corpo, se você teve um parto vaginal sem complicações. Se houve complicações, ou muitas suturas perineais, você poderia esperar um pouco mais. Se você se sente pronta para reiniciar seus exercícios antes de seis semanas, discuta o assunto com seu médico.
Em caso de cesariana o tempo de espera para exercícios reguçares e intensos deve ser maior ou seja, acima de 60 dias após o parto. Esteja sempre em contato com seu médico sobre seu progresso ao iniciar um programa de ginástica após a cesariana.
Se recomeçar um programa de ginástica significa retornar à natação, novamente, converse com seu médico. As incisões e suturas podem não estar bem cicatrizadas, e a água da piscina possui agentes químicos e bactérias que podem ser prejudiciais. Queremos salientar que há muitos outros tipos de exercícios e alongamentos que podem ser praticados na gestação e pós-parto e que as informações a seguir não substituem as recomendações do seu médico. Consulte-o sempre que for iniciar qualquer programa de exercícios físicos. Queremos dizer também que as sugestões abaixo não substituem a presença do fisioterapeuta e, na verdade, devem ser seguidas ao lado dele, até que você se sinta segura por estar fazendo os exercícios e alongamentos de modo correto.

FAZER OS EXERCÍCIOS DE FORMA INCORRETA, ALÉM DE NÃO AJUDAR, PODE PROVOCAR PROBLEMAS FÍSICOS.

9. Como deve ser a minha dieta?

Deve conter no mínimo 2600 cal/dia.
A puérpera deve ingerir boa quantidade de líquidos o que deve ajudar na produção do leite.
Nos primeiros 2 meses após o parto o esquema alimentar deve se manter no mesmo ritmo da gestação, com um acréscimo de cerca de 400 cal/dia, em virtude da produção do leite.

10. Quando voltar ao médico?
A paciente que amamenta não terá suas menstruações regulares e com muita freqüência terá ausência delas. Naquelas que não estão amamentando, a primeira menstruação poderá vir logo após a sexta semana pós-parto. Desse modo, é após 40 dias que a primeira revisão médica do parto deve ser feita. Nos casos de cesariana é aconselhável uma revisão 10 dias após a retirada dos pontos (que é feita uma semana após a intervenção).

11. Em quanto tempo o útero volta ao normal?

De modo geral, 6 semanas é tempo suficiente para que o útero volte ao tamanho e peso normais. No primeiro dia pós-parto ele já se encontra na cicatriz umbilical e após 10 dias ele está na sínfise púbica ( ao nível do osso púbico, logo acima dos pelos pubianos).
A cicatriz da área de inserção placentária dentro do útero (área sangrante) é responsável pela presença de um constante fluxo de líquidos através da vagina no período puerperal, denominados de lóquios. No início os lóquios são vermelhos (rubros), depois vermelho-claros e a seguir amarelados, cessando após a sexta semana. Portanto, nas primeiras 2 a 3 semanas é normal apresentar um sangramento semelhante ao da menstruação, que depois vai se tornando claro e amarelado , até parar.
É comum nos 2 ou 3 dias que seguem o parto a presença de cólicas, principalmente durante a amamentação, que são a tradução de contrações vigorosas do útero, com o intuito de acelerar a involução desse órgão.

12. E o meu peso ? Em quanto tempo volto ao peso com que engravidei?
Um ganho de peso de 9 a 10 Kg durante a gravidez está relacionado a retenção de água. É normal uma perda de 5,5 Kg logo após o parto devido a saída do feto , placenta, líquido amniótico e involução uterina. Outros 4,5 Kg são eliminados nas 6 semanas seguintes, sendo cerca de 1,5 Kg na primeira semana pós-parto e 3,0 Kg nas outras 5 semanas. Assim , esses 9 a 10 Kg serão sempre perdidos , porque correspondem ao acúmulo de água durante a gestação. A quantidade de quilos que ultrapassou esses 10 kg, será o restante que você poderá perder durante o período de amamentação, ou seja, nos primeiros 6 meses.

13. Como eu faço para amamentar o Bebê?
Depende de motivação e aprendizado adequado.
A mama é preparada durante toda a gravidez para produzir leite em quantidade suficiente para o recém-nascido. Vários hormônios estão envolvidos no desenvolvimento e crescimento mamário, bem como na elaboração e ejeção do leite.
Os principais hormônios são produzidos pela hipófise (ocitocina e prolactina); eles atingem a corrente sangüínea e vão atuar sobre a mama na produção e na liberação do leite.
A sucção é necessária tanto para produção quanto para a ejeção do leite. É ela que mantém os níveis de prolactina adequados para que se dê a síntese do leite – essa suspensão de proteínas e gorduras em solução de açúcar (lactose) e sais de sódio. Cerca de 90% da composição do leite corresponde a água.
O volume de leite produzido é variável de mãe para mãe. Sabemos que quanto mais o bebê suga mais leite é produzido. Nos primeiros 2 dias após o parto só é produzido o colostro (secreção pré-láctea rica em proteínas e anticorpos), de cor amarelada, que é suficiente para manter as condições de nutrição do bebê, até que ocorra a apojadura ou descida do leite propriamente dito. Essa descida do leite acontece em geral 2 a 5 dias após o parto. Não se preocupe com essa demora, pois o bebê nasce com reservas energéticas suficientes para agüentar até a vinda definitiva do leite. É por esse motivo que o bebê perde até 10% de seu peso de nascimento nesse período. O volume de leite aumenta gradativamente de 120 ml por dia no segundo dia, 170 ml no terceiro dia , 240 ml no quarto dia para cerca de 300 ml por dia a partir do quinto dia do período puerperal. Podemos calcular a quantidade de leite produzido por dia, multiplicando-se o dia pós-parto por 60. Dessa forma 15 dias após o parto a produção do leite estará em torno de 900 ml por dia (15 x 60). Portanto, são necessários 14 a 15 dias para que essa produção seja regular e constante.

Giovanna, o que o nome significa?

4 outubro, 2008 12 comentários

Acho bastante interessante os significados dos nomes, antes de escolher o nome da princesa, pesquisamos seu significado. O resultado foi bem legal.

Giovanna: este nome tem origem judaica e italiana, e quer dizer “Um grande presente de Deus”. É “Joana”, em português.

Nome bastante forte, como o da mamãe e do papai, claro!

Izabela: nome de origem hebraica que significa consagrada de Deus.
Igor: de origem russa, significa princípe da paz. Força e poder.

Categorias:Filhota Tags:, , , ,

Calendário

A data prevista para o seu parto é: 11 de Dezembro de 2008

Outubro 2008
Dia: 1
Os prós e os contras do parto natural e os métodos para o alívio das dores de parto mercem uma atenção especial da sua parte.

Dia: 2
28ª semana de gestação e 30ª após o seu UPM. O bebé mede agora 36 cm e pesa cerca de 1300 grs.

Dia: 3
Ao apalpar a sua barriga o seu médico detecta a cabeça do bebé, as suas costas e nádegas.
Dia: 4
A pele do bebé está ligeiramente enrrugada e os olhos já estão bem abertos.

Dia: 5
A comichão vaginal pode ser sinal de infecção. Consulte o seu médico.

Dia: 6
Para aliviar as dores das costas experimente dormir com almofadas debaixo da barriga e entre as pernas.

Dia: 7
Já sabe quem quer que a acompanhe durante o parto?

Dia: 8
Se estiver com problemas e não tiver a quem recorrer contacte o SOS Grávida ou Ajuda de Berço.

Dia: 9
29ª semana de gestação e 31ª após o seu UPM. O bebé mede 37,5 cm e pesa cerca de 1500 grs.

Dia: 10
Terceiro trimestre! Se ainda não visitou o Hospital ou a Clínica onde quer ter o bebé tente fazê-lo agora.

Dia: 11
Fazer os exercícios com a pessoa que a vai acompanhar durante o parto ajuda-a a manter-se calma e a sentir-se mais confiante. Força!

Dia: 12
Se gosta de andar ao ar livre, pode aproveitar para dar longos passeios o que lhe fará muito bem nesta fase.

Dia: 13
Se sofrer de diabetes gestacional siga os conselhos do seu obstetra.

Dia: 14
O reflexo de agarrar já está desenvolvido e, às vezes, o bebé agarra o cordão umbilical.

Dia: 15
Os fetos entre 1500 grs a 2500 grs podem sobreviver, mas terão vários problemas.

Dia: 16
30ª semana de gestação e 32ª após o seu UPM. O bebé já tem 39 cm e pesa cerca de 1700 grs.

Dia: 17
Tem os mamilos planos ou invertidos? Não se preocupe. Há acessórios que a ajudam a ultrapassar essa situação.

Dia: 18
Exprimente ler para o bebé. Escolha histórias curtas e simples.

Dia: 19
Alguns médicos fazem um exame pélvico para verificar se há alterações na cervix.

Dia: 20
Saiba se o bebé está na posição correcta. Se não, converse com o seu médico.

Dia: 21
O cérebro e os nervos do bebé continuam em desenvolvimento.

Dia: 22
O bebé já consegue ouvir sons e começa a familiarizar-se com as vozes que mais ouve.

Dia: 23
31ª semanas de gestação e 33ª após o seu UPM. O bebé tem agora 40 cm e pesa cerca de 1900 grs.

Dia: 24
As pupilas dos olhos do bebé reagem à luz se esta lhe for direccionada para o olhar.

Dia: 25
Podem ocorrer descargas vaginais nesta fase. Esteja atenta para o facto de serem pontuais ou derrames persistentes e informe o médico.

Dia: 26
Se o bebé não se tiver mexido 10 vezes no período de 2 horas procure o médico o quanto antes.

Dia: 27
As continuam a aparecer, mas sem regularidade ou dor.

Dia: 28
Falar e ler para o seu bebé é muito importante. Ouvir música clássica também o ajuda a relaxar.

Dia: 29
Já planeou a sua viagem para o Hospital ou para a Clínica? Por exemplo sabe quanto tempo demora a lá chegar?

Dia: 30
32ª semana de gestação e 34ª após o seu UPM! O bebé tem agora 41 cm e pesa cerca de 2100 grs.

Dia: 31
As unhas das mãos do bebé atingem já a ponta dos dedos!

Categorias:Mamãe Tags:, ,

Com 30 semanas de gestação!

2 outubro, 2008 3 comentários

Seus sentidos estão mais afiados nesta semana. No entanto, o único sabor que a pequena experimentou foi, é claro, o do líquido amniótico, que engole e inala continuamente.

De acordo com os pesquisadores, essa substância é adocicada, ou seja, tem o gosto de infância.
Em relação a minha gravidez, pude perceber que a minha barriga deu uma boa crescida, e sem dúvida está muito pesada, minhas pernas que o digam. rs! Nessa fase estou tendo muita dificuldade para dormir, pois estou tendo falta de ar, o que causa um belo desconforto em achar a posição ideal.
Meus pés e minhas mãos estão super inchados, mais tenho bebido bastante líquido e procuro não ficar muito tempo em pé. É isso, agora estamos na reta final. Não vejo a hora da minha princesa estar aqui!

Bem Vindos!

1 outubro, 2008 12 comentários

Olá! Estou criando esse blog para homenagear uma criaturinha especial que está chegando. Estou com 29 semanas e 6 dias, e enquanto a Giovanna não chega, irei relatar sobre minhas últimas semanas e preparativos!

Beijos para nossos amigos e familiares!

Giovanna chegando!!

Giovanna chegando!